domingo, 6 de março de 2011

CARNAVAL DE ANTES

Quando as notas e recibos são enviados ao Tribunal de Contas do Estado e à Câmara Municipal, nos últimos anos em Alto Parnaíba, se alguém não presenciou o objeto daquelas contas, ou seja, o carnaval de um determinado ano, com certeza deduzirá que, pelo dinheiro hipoteticamente gasto pela Prefeitura, foi um dos melhores carnavais do interior brasileiro.

Lego engano. Em um passado não tão-distante, sem financiamento com dinheiro público, a sociedade alto-parnaibana se organizava e realizava, aí sim, um dos melhores carnavais de nossa região, com blocos animados e bem organizados, foliões incansáveis, filhos do lugar que para aqui retornavam no período momesco e ajudavam a fazer uma bela festa, tradicional com suas marchinhas, sem bandas importadas, ao som das sanfonas de muitos músicos nativos, como Saló Brito e Zé Pequeno.

O palco do carnaval era o salão do cine e teatro Victória, fundado por Candim Brito e seu filho, Ivan Cirqueira Brito. O clube não mais existe. Homens de outras gerações se vestiam de mulher e saiam às ruas ao lado de dezenas de outros amantes da alegria, todos e todas fantasiados, entravam nas casas e eram recepcionados festivamente pelos donos. Bebida moderada, sem drogas. Clima familiar em uma pequena cidade pacata e hospitaleira. Do teatro e bar Victória, o rio Parnaíba como belo cenário, onde, nas madrugadas dos quatro dias de momo, suas águas ajudavam a matar a ressaca e a dar aos foliões a sensação ainda maior de liberdade e de paz que o bom carnaval propicia.

Nos últimos vinte anos, a Prefeitura passou a financiar a festa e mesmo gastando, em notas fiscais, milhares de reais com bandas, blocos e outras despesas não percebidas pelo povo, o carnaval de Alto Parnaíba é bem pior, sem qualquer saudosismo, predominando o uso indiscriminado de drogas ilegais, que, faça-se justiça, neste carnaval a polícia está agindo com rigor em seu combate, perseguindo os traficantes para prendê-los.

Infelizmente, perdemos o brilho do simples carnaval do passado e alguns, de passagem pelo poder, fazem a festa com o dinheiro público, figurando sem saudades na história do futuro próximo.

2 comentários:

  1. dr decio estava precisando do seu contato! sou advogado em sao luis, os numeros que tinha a telemar relata que nao existe. meu contato é 98 8834 1693 pode ligar a cobrar meu nome é marcelo santos silva oab/ma 5771

    ResponderExcluir
  2. A lucidez e inteligência do meu velho amigo Décio.Parabéns! Seu amigo Jeder.

    ResponderExcluir

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias