quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

MORTE PREMATURA DE DR. DÉCIO ROCHA


Nesta manhã de quinta feira, 14 de fevereiro de 2013, faleceu  Dr. Décio Rocha, vítima de um infarto agudo, aos 47 anos de idade. Combateu o bom combate.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

ESTRADA ALTO PARNAÍBA À LIZARDA SERÁ RECUPERADA

O primeiro trecho da antiga estrada do sal, a BR-235, que liga Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, à Lizarda, no Tocantins, começará a ser recuperada, ou reconstruída, a partir desta semana,  conforme parceria firmada pela Prefeitura de Alto Parnaíba e pelos grandes produtores de soja da serra da Bacaba.

O Prefeito Itamar Vieira se encontrou com os agricultores no início da noite da segunda-feira de carnaval no salão da Loja Maçônica Harmonia e Trabalho, onde a parceria foi discutida e acordada, cujos gastos terão a participação da iniciativa privada. O primeiro trecho é o que liga a cidade à serra da Bacaba.

Também na sexta-feira esteve em Alto Parnaíba o prefeito de Lizarda, Vilmar Pugas, que manteve demorado encontro com o colega alto-parnabano, cujo ponto central foi a união das duas prefeituras vizinhas na imediata reconstrução de toda a estrada, já que, mesmo com mais de 70 milhões de reais garantidos por emendas parlamentares nos últimos orçamentos da união, o início  da construção e pavimentação da rodovia, como extensão do trecho da BR-235 que está sendo construída entre Glbués e Santa Filomena/PI, ainda não foi anunciado.

Itamar, que é agricultor, reafirmou seu compromisso com a recuperação e reconstrução das estradas municipais, todas em situação precária. 

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

CLUBE VITÓRIA - O ANTIGO CARNAVAL DE ALTO PARNAÍBA

Hoje aposentado e recolhido a uma chácara, onde vive apenas com a mulher, Maria Zeile do Amaral Brito, e dois netinhos, Ivan Brito, com problemas cardíacos e diabetes, está completamente diferente daquele carnavalesco nato, proprietário e administrador da mais completa organização de bar, clube, sorveteria, cinema e teatro que Alto Parnaíba teve em sua história. E isso quando não tínhamos luz elétrica.

Localizado estrategicamente em frente ao rio Parnaíba, na esquina da hoje avenida Rio Parnaíba com o largo Poeta Luiz Amaral, o clube Vitória simboliza, mesmo desativado, o carnaval do passado na mais meridional das cidades maranhenses. Ainda criança, pude testemunhar o espetáculo local, infelizmente não conservado. As festas de Momo iniciavam-se e se encerram no clube Vitória; os blocos organizados e foliões dançavam nas ruas da cidade e se encontravam no bar do Ivan. E isso desde o pai de Ivan Brito, Cândido Lustosa de Brito Filho, falecido em 1950 quando estava viajando a São Paulo.

Como eu disse no início, não tínhamos eletricidade. Ivan possuia gerador próprio. O balcão era elétrico, o sorvete de frutas naturais do lugar  feito por tia Zeile, Altina e outras pessoas da casa, era uma delícia, assim como o picolé. No bar, além da sorveteria, bebidas alcoólicas, sucos, refrigerantes e lanches, as sinucas, uma das quais enorme, que mais tarde a AABB, do Banco do Brasil, a adquiriu quando do fechamento do clube. No amplo salão de festas, o palco onde peças do teatro amador vitoriense alto-parnaibano eram encenadas; Ivan também era ator. Peças escritas e dirigidas por Luiz Amaral e outros intelectuais da terra lotavam o Theatro Victória (a grafia era essa). Na tela grande, filmes americanos dominavam as noites sertanejas da velha cidade. Ainda assiti, com meus pais, a alguns filmes e a uma apresentação de um mágico no teatro. Era mágico.

No entanto, o carnaval era a sensação. Homens vestidos de mulheres, como o próprio Ivan, fantasias diversificadas, blocos organizados - eu topo tudo, sou boa vida, o meu negócio é Alto Parnaíba. Se tem cerveja eu bebo, se tem cachaça também, eu sou um só e não ligo prá ninguém... com as músias adaptadas, a maioria marchinhas, pelos próprios foliões. Clima de paz, de harmonia e entrosamento social saudável eram as exigências do também rígido Ivan Brito na condução do carnaval, que, igual aos blocos das grandes cidades, os preparativos antecediam bastante ao próprio carnaval. Os músicos (sanfoneiros) eram da terra, como Zé Pequeno, Sadi Soares e Saló Brito. Todas as festas no clube e os blocos nas ruas eram animadíssimos. É uma pena que nosso carnaval próprio não mais exista. Chegou o momento de revitalizá-lo, a partir da criação da Secretaria Municipal de Cultura, projeto de lei enviado à Câmara de Vereadores, aprovado unanimemente e já sancionado pelo Prefeito Itamar Vieira.

Foto: Ano de 1980. Ivan fantasiado começando a dançar. Atrás dele, consegui distinguir o casal Iglésia e Antonio Rocha Neto,  Célio Antonio da Silva, hoje de saudosa memória, e Neuman Alves Pires.  Arquivo de Antônio Cândido Brito, o Candim, filho caçula de Ivan.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

A QUESTÃO PARQUE DAS NASCENTES DO PARNAÍBA

Hoje pela manhã, na Câmara Municipal de Alto Parnaíba/MA, foi realizada uma reunião promovida por uma empresa terceirizada - a Geoplan, com sede em Corrente/PI -, objetivando cadastrar os proprietários e moradores das áreas eventualmente abrangidas pelo Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, criado por decreto presidencial de julho de 2002.

Mesmo não sendo a seara própria, o prefeito de Alto Parnaíba, Itamar Vieira, acompanhado do secretário do meio ambiente Elias Elton Rocha, de outros secretários municipais, de quase todos os vereadores e das procuradoras do município Hozayra Holemberg Pires e Marcele Pizzato, esta também defensora pública municipal, compareceram ao evento, e fizeram questão de colocar o posicionamento do Município de Alto Parnaíba, como ente federado cujo parque abrange cerca de 300 mil hectares de terras, ou seja, a metade do próprio parque, de preocupação com a questão social, de cautela e de interesse em ter acesso a todo o procedimento referente a esse processo, tendo em vista que nos arquivos do Município inexistem documentos que possam atestar ter sido no passado o mesmo Município inteirado da criação do Parque, que suspreendeu a população, principalmente os ribeirinhos do Parnaíba e seus afluentes, cujas famílias se sucedem há mais de 150 anos em uma das regiões mais esquecidas do país, onde a República de fato nunca chegou.    

Em princípio, o Município não é contra o Parque; ao contrário, defende a preservação do Rio Parnaíba. No entanto, é preciso saber as prioridades que levaram a uma extensão tão significativa do seu território para justificar a existência da unidade federal. Se no decreto expedido pelo então Presidente Fernando Henrique Cardoso, consta o memorial descrito do território abrangido, quais as razões de uma nova demarcação? Outra indagação: límitrofe do município de Alto Parnaíba em quase a extensão do Rio Parnaíba enquanto banha os dois municípios, por que Santa Filomena não foi contemplado com um único are de seu território? Então, não seria Parque Nacional das Nascentes do Rio Parnaíba, mas Parque Nacional do Município de Alto Parnaiba. É fato.

No mais, se desalojadas de imediato as centenas de famílias, cujas moradas em povoados e fazendas passaram ao domínio da União, como a Prefeitura, de poucos recursos e em estado de emergência, irá equacionar a migração de toda essa gente para a zona urbana? Será que o governo federal vai pagar em dinheiro vivo, à vista,  respeitado o valor da terra no mercado local, o preço justo pela desapropriação de terras, benfeitorias, tempo de ocupação dos posseiros, etc? Ou será que o pagamento será para futuro indefinido com o "pagamento" através de títulos da dívida agrária, aqueles mesmo que no Império e na República Velha foram emitidos e jamais resgatados? O Parque tornou-se uma questão para Alto Parnaiba.

Volto a repetir: pessoalmente sou pela preservação e conservação do Rio Parnaíba e seus afluentes, assim como o é o Município de Alto Parnaíba, conforme se manifestou pubicamente o prefeito Itamar Vieira. No entanto, é preciso que o Município, a sociedade, as entidades civis e a própria comunidade atingida diretamente pelo Parque se unam e o diálogo com os órgãos competentes para que se inicie de fato um debate amplo e público, que não ocorreu antes e nem nos dez anos após a criação oficial da unidade. É a realidade.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A MORTE DE SANTO CABOCLO

Morreu na madrugada de hoje, em Alto Parnaíba, Agostinho Ferreira, conhecido apenas como Santo Caboclo, aos 95 anos de idade, em sua residência no bairro Santa Cruz.

O quase sertanejo alto-parnaibano foi vaqueiro, rurícola, fiscal da Prefeitura Municipal no último mandato de meu pai, Antonio Rocha Filho, entre 1983 e 1988, e sempre conduziu sua vida e sua família dentro dos padrões tradicionais dos sertanejos, com respeito, fé e amor ao trabalho.

Santo  Caboclo era viúvo de dona Hosana Tranqueira Alves e dentre inúmeros filhos Zilneide Alves Rocha, uma filha dedicada e extremamente devotada aos pais, viúva que é do meu primo Ben-Hur Rocha Filho, ex-funcionário do Banco do Brasil falecido em julho de 2001 quando trabalhava na agência de Tasso Fragoso/MA, além de netos e bisnetos.

Amigo de meu pai, da geração de 17 - que está acabando -, Santo Caboclo era de boa prosa e de muitos causos, além de boêmio, que teve que deixar em face de um derrame cerebral. Ficou lúcido até o fim.  Que o Deus o acolha e proteja no seu lar. À família os nossos sentimentos.

O Prefeito Itamar Vieira, que se encontra no interior do município, demonstrou profundo pesar pelo falecimento do amigo e do antigo e eficiente servidor público municipal, determinando a expedição de nota de pesar à família enlutada. 

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

PREFEITO SOLICITA POSTO DOS BOMBEIROS PARA ALTO PARNAÍBA

Após contatos da procuradora municipal Marcele Pizzatto com o comando do Corpo de Bombeiros em Balsas, o prefeito Itamar Vieira decidiu, por ofício enviado na semana passada, solicitar à governadora Roseana Sarney a instalação de um posto de bombeiros na cidade de Alto Parnaíba, a 1.080 km de São Luís e a 246 km da cidade polo regional de Balsas.

Além da questão geográfica e da comprovação pela polícia da necessidade de fiscalização de clubes, bares e estabelecimentos similares pelos bombeiros na mais distante cidade maranhense com relação à capital do estado, a tragédia de Santa Maria, que abalou o mundo, e a preocupação do investigador da Polícia Civil, José Joaquim Sousa Soares com a situação local, bem antes desse lamentável acontecimento, fundamentaram o pleito mais do que justo do prefeito de Alto Parnaíba.

A simples emissão do alvará pela Prefeitura e pela vigilância sanitária, aliados à autorização de festas pela polícia, não exime o laudo dos bombeiros. Uma fiscalização complementa a outra, cada instituição cumprindo com seu munus, ou seja, dentro de suas atribuições. A perícia técnica sobre a situação de cada clube ou bar depende dos bombeiros, e pedir socorro aos de Balsas, em caso de necessidade, seria pura perda de tempo. A responsabilidade é do estado, que realizou recentemente concurso público, possuindo quadro suficiente para atender à demanda legítima de Itamar Vieira, que, por sua vez, aguarda ansioso, até mesmo pela proximidade do carnaval, uma resposta de Roseana.  

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A TRADICIONAL LAMPARINA

Cresci e jamais a lembrança falhou com relação ao dia 02 de fevereiro. Na Alto Parnaíba dos anos 1970, ainda sem luz elétrica - a iluminação era a motor a diesel, que às 9 e meia da noite era desligado - e mesmo no início da "modernidade" da eletricidade, era dia de colocar, quando caía a escuridão, as lamparinas na entrada e nas janelas de fora das casas. Era o dia do aniversário de dona Gentileza Brito Bastos, vizinha dos meus pais desde o casamento destes na velha rua Urbano Santos, hoje com o nome que homenageia meu pai, Antonio Rocha Filho. Dona Gentileza não nasceu por coincidência nesse dia ou o simbolismo a trouxe ao mundo como uma pessoa que gostava de dançar, de festas, de sorrir, sempre otismista batalhando diuturnamente para criar os filhos sem esmorecer, iluminada.

Fazendo uma rápida pesquisa e como tudo é simbólico quando se trata de crenças e religiões, Nossa Senhora das Candeias assim como a da Candelária, da Luz, da Purificação e da Apresentação são títulos simbólicos pelos quais a Igreja Católica venera a Virgem Maria. Segundo ainda a pesquisa, a invocação de Nossa Senhora das Candeias ou da Purificação remonta aos princípios do cristianismo, tendo Maria, levando consigo o filho Jesus Cristo, cumprindo a Lei de Moisés, após quarenta dias do parto quando ainda a mulher era considerada impura, apresentou-se ao Templo, tornando-se uma procissão com as pessoas conduzindo velas acessas e fazendo o mesmo caminho de Nossa Senhora.

Mas, voltemos à lamparina. Agora no último 02 de fevereiro, já acordei lembrando que era dia de Nossa Senhora das Candeias e do aniversário de dona Gentileza, hoje falecida. Somente mais tarde, conversando com a professora e ex-presidente da Câmara Municipal Maristela Mascarenhas de Araújo, também aniversariante do dia, voltei a me preocupar em ir à casa de meus pais colocar as lamparinas nas janelas e na porta de entrada, logo ao escurecer. Me fizeram cair na real ao receber a informação de que não existem mais as lamparinas artesanais, aquelas descritas por Aurélio Buarque de Holanda ao conceituar candeia: "pequeno aparelho de iluminação, que se suspende por um prego, com recipiente de flolhas-de-flandres...". A nossa lamparina original era móvel e colocada em qualquer canto ou em cima de móveis. Nem mais os descendentes de Domingos Cajazeiras tinham disponíveis naquele dia especial a lamparina. Na casa de meus pais, acredito que assim como nas das demais, a energia elétrica e outras inovações foram fazendo desparecer gradativamente esses instrumentos e objetos tradicionais, artesanais, puros. O grande feitor de lamparinas da época era o saudoso João Sobreira Lima, de Santa Filomena, um "metalúrgico" nato, a quem meu pai contratava para os reparos e preparos de novas lamparinas.  A lampirana a querosene ainda existe, pude constatar após mandar vasculhar o comércio local, mas não é igual àquelas do passado. Seria saudosismo? Com certeza.

Prometi a mim mesmo que darei um jeito de obter uma lamparina ou candeia tal como antigamente, talvez em alguma casa do interior do município onde ainda não chegou luz elétrica ou eventualmente falta velas na despensa. Mas, no próximo dia de Nossa Senhora das Candeias ou das Lamparinas, do aniversário de dona Gentileza, da Maristela, do Alan Vieira, do Jonísio Moreira, da Deusilene Reis e de tantos outros, pelo menos em frente à casa de minha família, se assim a Virgem Maria permitir, as lamparinas estarão acessas ao escurecer de 02 de fevereiro. Neste 2013, acendi uma que comprei em uma loja, mas a aparência é totalmente diferente das antigas. Eu quero é a velha lamparina.     

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

ITAMAR RETORNA OTIMISTA DE BRASÍLIA

Acompanhado do vice-prefeito e secretário municipal de Educação, professor Raimundo Nonato de França de Oliveira, o prefeito de Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, Itamar Nunes Vieira, retornou ontem, 31 de janeiro, de Brasília, onde participou, durante três dias, de reunião nacional dos prefeitos com a presidente Dilma Rousseff, ministros e outras autoridades do governo federal.

Segundo Itamar, o encontro foi altamente positivo, com o compromisso do governo federal de repassar aos municípios brasileiros obras em vários setores, através do Programa de Aceleração do Crescimento . No caso de Alto Parnaíba, com menos de 50 mil habitantes, estão previstos creches e pré-escolas, quadras esportivas nas escolas a partir de cem alunos, unidades básicas de saúde, pavimentação, saneamento, moradias populares para famílias com renda de até R$ 1.600,00, equipamentos para estradas vicinais. Os projetos começarão a ser cadastrados em Brasília a partir de 04 próximo indo até 31 de maio. O prefeito e sua equipe já iniciaram os trabalhos necessários para permitir que o nosso município seja contemplado, inclusive para vencer algumas exigências, que são necessárias para o pleno êxito de cada proposta.   

domingo, 27 de janeiro de 2013

PREFEITO E VICE PARTICIPARÃO DE ENCONTRO NACIONAL EM BRASÍLIA


Nos próximos dias 28, 29 e 30 de janeiro, ocorrerá em Brasília mais um encontro nacional dos prefeitos brasileiros, no centro de convenções Ulysses Guimarães, cuja abertura será feita pela presidente Dilma Rousseff e o encerramento pela ministra de Relações Institucionais Ideli Salvati.

O prefeito Itamar Nunes Vieira e o vice-prefeito e secretário municipal de Educação Raimundo Nonato de França Oliveira, representarão o município de Alto Parnaíba, localizado no extremo sul maranhense, e já promoveram o agendado de audiência em alguns ministérios e com parlamentares objetivando demonstrar a situação de emergência que atravessa o município, ante o decreto de estado emergencial formalizado pelo atual prefeito em 14 de janeiro e com vigência por seis meses.

O estado de emergência é fartamente justificado, quer pela situação precária das estradas e consequentemente para o escoamento da grande produção de grãos, quer pela falência do sistema de saúde pública e das próprias finanças municipais com inúmeras e impágaveis dívidas que, apenas com execuções ajuizadas pelo Ministério Público atingem, no momento, mais de dez milhões de reais - sem contarmos com outros débitos e com quase 1 milhão e oitocentos mil reais apenas de cheques devolvidos sem fundos e emitidos pelo governo anterior junto à agência local do Banco da Amazônia -, ou mesmo pelo abandono completo em que a cidade se encontrava até 31 de dezembro passado. 

Também a questão da moradia popular, sem um único conjunto construído na zona urbana, pelo crítico fornecimento de água potável nos bairros e em grande parte do centro urbano, pela inexistência de moradias e saneamento nos povoados, pela paralisação do Programa Luz para Todos, pela ausência de um hospital público municipal e mesmo de uma escola agrotécnica essencial a um município essencialmente agrícola, um dos maiores produtores do país.

Uma outra questão emergencial que Itamar e Raimundo Nonato cuidarão trata-se da construção e pavimentação do trecho da rodovia BR-235, entre Alto Parnaíba e Lizarda-TO, de pouco mais de 120 quilômetros, em estado precaríssimo, com emendas parlamentares aprovadas e com recursos disponíveis, porém não empenhados.

Os problemas são imensos, mas é preciso enfrentá-los, pensando no presente e olhando com visão estratégica para o futuro, ante o potencial natural de Alto Parnaíba.

Foto: Dhiancarlos Pacheco

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Alto Parnaíba: Liminar manda ex-gestor devolver documentos à prefeitura

O juiz José Francisco Fernandes, titular da comarca de Alto Parnaíba, deferiu uma liminar na qual determina que o ex-prefeito entregue documentos e computadores da prefeitura ao atual gestor. De acordo com o município, autor da ação, os documentos foram indevidamente retirados da Prefeitura Municipal e de outros órgãos pelo ex-prefeito Ernani Soares, pelo ex-secretário de administração e finanças José Henrique Soares (filho do ex-prefeito) e pela contadora da gestão passada, Rosimar Barros. Os documentos estariam guardados na casa de Rosimar, em Balsas.
O atual prefeito Itamar Vieira alega que, com a retirada desses documentos, a administração pública municipal encontra-se privada do pleno exercício do governo ante a falta de documentos indispensáveis ao seu desenvolvimento regular, sendo que no mês de dezembro próximo passado e até o último dia do mandato do primeiro demandante, a cidade presenciou camionetes saindo da porta da Prefeitura Municipal transportando caixas previamente enchidas com materiais recolhidos pelos suplicados. No dia 24 de dezembro de 2012, o atual prefeito e posteriormente empossado registrou boletim de ocorrência policial sobre esses fatos.
A liminar descreve, ainda, que dias depois de registrar ocorrência, o prefeito atual presenciou nas ruas da cidade diversos veículos transportando documentos e provavelmente outros bens públicos de propriedade do município. Itamar tentou interceptar os condutores dos carros, que se negaram a devolver a documentação retirada indevida e ilegalmente, levando-a para casas particulares.
“A falta da documentação está deixando o atual governo praticamente paralisado até mesmo para a confecção da folha de pagamento atual e que está correndo prazo para a prestação de contas de convênio celebrado entre o município e o Ministério da Educação, o que poderá provocar sérios prejuízos à municipalidade”, informa Itamar Vieira, observando que por todas essas razões e outros problemas de natureza gravíssima, foi decretado estado de emergência no município de Alto Parnaíba.
Ao analisar os fatos, o juiz deferiu a liminar de busca e apreensão de todos os documentos, computadores e objetos pertencentes ao Município de Alto Parnaíba, que forem encontrados na casa de Rosimar Barros. O magistrado expediu carta precatória, encaminhando o mandado de busca, apreensão, citação e intimação ao Juízo de Direito da Vara Competente da Comarca de Balsas, município aonde Rosimar reside. No cumprimento do mandado, dois oficiais de justiça, e auxílio de força policial, caso seja necessário.
Reprodução: Assessoria de Comunicação da CGJ - asscom_cgj@tjma.jus.br

PREFEITURA CONVOCA SERVIDORES COM EMPRÉSTIMOS CONSIGNADOS


Ante a informação formal dirigida à Prefeitura de Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, pelo Banco Gerador de que o município seria devedor de mais de R$ 158 mil referente ao não pagamento,  àquela instituição financeira dos repasses descontados automaticamente na folha de pagamento de mais de cem servidores públicos municipais, o chefe de gabinete do prefeito, Alan Nunes Vieira, emitiu comunicado nos meios de comunicação ontem, 24 de janeiro, convocando esses funcionários a comparecerem em cada órgão público ao qual estejam lotados, apresentado, na ocasião, cópias dos contratos de financiamentos, dos últimos três contra-cheques e de eventuais notificações do referido banco ou de outros sobre situação de inadimplência.

Essa providência é essencial para resguardar direitos dos servidores e do próprio município, que, a partir de tais informações, saberá se posicionar quanto a essa pretensa dívida deixada pelo governo passado.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

PGM SOLICITA CUMPRIMENTO DA LEI PELO TRANSPORTE COLETIVO

Em ofício circular expedido ontem, 21 de janeiro, a Procuradoria Geral do Município de Alto Parnaíba - PGM -, representado pela procuradora do município Hozayra Holemberg Pires, solicitou aos proprietários de ônibus e vans que fazem o transporte coletivo entre a cidade de Alto Parnaíba, no sul maranhense, e outras cidades do estado e do país a assegurarem aos idosos, deficientes e crianças o direito à gratuidade da passagem ou à meia-passagem, dependendo de cada situação, de quem precisa viajar e utilizar esse serviço de natureza pública.

Várias reclamações chegaram à PGM dando conta de que as empresas não estariam cumprindo com determinações inseridas em leis federais, como no Estatuto do Idoso e no Estatuto da Criança e do Adolescente, e algumas somente admitem o direito assegurados a esses casos quando a passagem for retirada a partir de Balsas, a 240 km de Alto Parnaíba, o que vem causando sérios prejuízos à comunidade local.

Caso a recomendação da PGM, que atende determinação expressa do prefeito Itamar Nunes Vieira de garantir direitos básicos e elementares do cidadão, não forem atendidas, o Ministério Público será acionado.

sábado, 19 de janeiro de 2013

BANDEIRA DE ALTO PARNAÍBA É HASTEADA NO PAVILHÃO DO FÓRUM

Em cerimônia ontem, 18 de janeiro,  ao meio dia, o prefeito Itamar Nunes Vieira e o juiz de direito José Francisco de Souza Fernandes promoveram o hasteamento da bandeira oficial do município de Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, no pavilhão do fórum desembargador Aluizio Ribeiro da Silva, localizado na Rua Vereador Carlos Lustosa do Amaral, no bairro Santa Cruz.

Na sessão solene de diplomação dos eleitos em 07 de outubro, o magistrado José Francisco de Souza Fernandes pediu ao então prefeito eleito que cumprisse o protocolo de entregar a bandeira do município para ser hasteada ao lado das bandeiras nacional e do Estado do Maranhão em frente ao moderno prédio do fórum da comarca de Alto Parnaíba, inaugurado há dois anos.

Cumprindo a promessa e em respeito à federação e ao civismo que anda em desuso no Brasil atual, o prefeito Itamar Vieira e o juiz José Francisco, que comungam do mesmo pensamento de resgate do amor à pátria e respeito aos símbolos institucionais republicanos, cumpriram com o ritual, no que tive a honra de participar como procurador geral do município, ao lado do decano dos servidores públicos municipais de carreira, Luiz Carlos Castro Rodrigues, de serventuários do fórum e de policiais militares.

Agora, ao lado das bandeiras do Brasil e do Maranhão, a de Alto Parnaíba tremula na sede do Poder Judiciário maranhense em seu território.

Foto de Carlos Eduardo Lopes. Vejamos da esquerda para a direita: ex- delegado, cabo Ferreira, eu (Décio Rocha), Prefeito Itamar Nunes Vieira, Dr. José Francisco de Souza Fernandes e  Luiz Carlos Castro Rodrigues.
 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

PREFEITO DECRETA ESTADO DE EMERGÊNCIA EM ALTO PARNAÍBA

Não restou outra alternativa ao prefeito de Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, Itamar Nunes Vieira, a não ser decretar estado de emergência no município por cento e oitenta dias, através do decreto nº 006/2013, de 14 de janeiro em curso, já publicado.

A situação do município não deixa de ser caótica, sem o mínimo exagero. O governo está trabalhando de forma transparente para que todos os cidadãos tirem as dúvidas que desejarem. Além da cidade totalmente tomada pelo lixo, mato, entulhos, de ruas esburacadas, galerias e bueiros entupidos, ambulâncias sucateadas, salários de servidores públicos municipais atrasados - especialmente da educação -, dinheiro empenhado insuficiente para pagar uma folha e meia do exercício anterior, estradas e pontes deixando o interior do município praticamente isolado, cemitério público municipal sem mais espaço para novos sepultamentos, execuções cíveis e trabalhistas, além de ações judiciais de cobranças e do Ministério Público estadual e do trabalho que somam dezenas, credores de todos os tipos, cheques sem fundos da administração passada que somam R$ 1.745.185,30 apenas na agência local do Banco da Amazônia sem contarmos com os cheques do Banco do Brasil, agência de Tasso Fragoso, e dos protestados em cartório, do matadouro público municipal em situação que colocou a população consumidora de carne bovina com a saúde colocada a risco permanente por alguns anos, o prédio da Prefeitura Municipal praticamente danificado com portas e vidraças quebradas, poucos mobiliários, apenas um computador funcionando, impressoras e computadores retirados ou sucateados, documentos públicos levados pelo governo anterior para casas particulares até na véspera do final do passado anterior, enfim, o caos.

Os governos do estado, federal, o Poder Judiciário, o Ministério Público estadual e a Câmara Municipal já foram comunicados do decreto. Não era o desejo do prefeito Itamar Vieira tomar decisão dessa natureza, no entanto, do contrário estaria cometendo o crime de prevaricação, além de atos de improbidade administrativa ante o seu dever de ofício. 

Foto: Dhiancarlos Pacheco

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

MORRE ALTO-PARNAIBANA COM 108 ANOS DE IDADE


Com certeza uma das pessoas mais velhas do Brasil morreu no último dia 07 de janeiro na cidade sul maranhense de Alto Parnaíba. A Senhora MARIA LUIZA LINO, que no dia 02 do mês em curso havia completado 108 anos de idade, faleceu na casa da filha, Terezinha Lino Costa, cercada por este e pelo neto, o comerciante Benevenuto da Costa Pereira Neto, o Beninha, na Rua Prefeito José Soares.

Dona Lizeu, como era mais conhecida, nasceu na Fazenda Brejão, zona rural do município de Alto Parnaíba às 07 horas da manhã do dia 02 de janeiro de 1905, filha de Ledegário Lino e Maria Vitória dos Santos. Viveu em plena lucidez até recentemente. Gostava de dançar e de tomar uma ou outra dose de pinga em companhia de amigos. Recordo-me de Dona Lizeu visitando Maria de Jesus Araújo, a Dé, nascida em 1909, e uma pessoa muito próxima aos meus pais e à minha família. Falavam de coisas de antigamente, do tempo delas, e dona Lizeu de tudo se recordava com alegria, contando causos e recordando fatos do início de nossa terra, enquanto bebericavam uma cachacinha da terra. Era uma anciã agradável e de se dava bem com todas as gerações, até  porque da dela já não existia mais ninguém em Alto Parnaíba. O prefeito Itamar Nunes Vieira emitiu nota de pesar, endereçada à família enlutada, enaltecendo a longa vida de uma simples sertaneja de nossa terra.




quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

A MORTE DE MARIA BOLINHA

Faleceu na noite do último dia 07, no hospital São Geraldo, na cidade sul maranhense de Alto Parnaíba, Maria Luiza Rodrigues da Silva, aos 77 anos de idade,  popularmente conhecida apenas por Maria Bolinha, após certo período de enfermidade.

Pouco antes de sua morte, estive no hospital com Bolinha, quando minha mãe esteve ali internada. Com respiração ofegante, ela estava preocupada com minha mãe, perguntando com dificuldades pelo estado de saúde de dona Dacy.

Piauiense da vizinha Santa Filomena, Maria ainda jovem passou a morar em Alto Parnaíba, e sua casa tinha por quintal o ribeirão Rapadura, que corta a cidade, próximo à foz com o rio Parnaíba. Passou anos ali sofrendo com as sucessivas cheias no Velho Monge, mas somente a pouco tempo passou a residir em um bairro, deixando na velha casa seu único filho, José Rodrigues da Silva, o Zé de Bolinha, funcionário público municipal cedido à delegacia de polícia civil, onde exerce há trinta anos o cargo de escrivão de polícia ad hoc.

Na minha adolescência e juntamente com colegas de infância, no período de férias escolares uma das primeiras casas que eu visita em Alto Parnaíba era a de Bolinha e ela, atenciosa e excelente cozinheira, sempre preparava uma galinha caipira de molho pardo ou frita na panela de barro em fogão de lenha, uma delícia que jamais saíu de minhas lembranças.

Por anos, Maria Bolinha morou com minha avó paterna Ifigênia Rocha, com minha tia Tirzah e meus tios Eurídice e Ben-Hur Rocha, e sua ligação com minha família era estreita. Maria criou vários sobrinhos e outras crianças com a mesma dedicação e devoção com que criou e educou o único filho biológico.

Fica o registro e a minha saudade de uma das personagens mais queridas e conhecidas de minha terra. Que Deus a ilumine. 

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

ITAMAR ASSUME HOJE A PREFEITURA DE ALTO PARNAÍBA

Hoje é um dia histórico na vida política do município sul maranhense de Alto Parnaíba, uma antiga cidade fundada em 1866. Um homem descendente de família humilde assumirá o cargo de prefeito, após vitória nas urnas no último dia 07 de outubro de 2012. Itamar Nunes Vieira, alto-parnaibano de 56 anos de idade, casado, pai de dois filhos e avô de um netinho, agricultor por profissão, retorna à cena política após ser vereador (1983-1988), presidente da Câmara (1983-1984) e vice-prefeito (1989-1992), consagrado pelo voto popular e com o apoio de importantes lideranças políticas e comunitárias em todos os recantos do município, n'uma disputa difícil ao enfrentar o mais rico empresário do lugar, o prefeito de então que tentava a reeleição com a toda a máquina pública ao seu dispor e uma ex-primeira dama.

Como vice-prefeito assumirá o professor e ex-secretário de administração - governo interino de Avelar Ribeiro da Silva - e ex-presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Raimundo Nonato de França Oliveira, do PT, também de família humilde, um ativista engajado nas causas sociais de nossa terra. Com certeza, a escolha do vice não poderia ser mais acertada.

A coligação que elegeu Itamar Vieira possui quatro vereadores, enquanto a oposição detém a maioria simples, ou seja, cinco parlamentares. O novo prefeito preferiu não interferir na escolha do presidente da Câmara Municipal, ante o desejo de impor novos tempos, inclusive nas práticas políticas, em Alto Parnaíba, com respeito à independência dos poderes, combate sem tréguas à corrupção, antevendo que encontrará uma Prefeitura com imensas dificuldades, cujos dados concretos não foram repassados à comissão de transição que, de fato, não funcionou face aos empecilhos criados pelo governo que se despede.

Segundo o prefeito Itamar, que a partir das 10 horas da manhã estará tomando posse na Câmara, a primeira medida será a limpeza imediata da cidade, tomada de lixo, mato, entulhos, infestada, enfim, de insetos e todo tipo de sujeira. Não será fácil, no entanto, com honestidade, equilíbrio e capacidade administrativa os problemas serão gradativamente solucionados.   

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias