sábado, 26 de março de 2011

REVITALIZAÇÃO DA HISTÓRIA

Do paredão do rio Parnaíba, na cidade sul maranhense de Alto Parnaíba, uma das paisagens mais bonitas e majestosas do Velho Monge à vista. É a curva mais bonita do maior rio genuinamente nordestino. Infelizmente, na maior parte do ano, praticamente é impossível chegar, pelo paredão que tantas enchentes evitou em mais de quarenta anos, à beira do rio, face ao lixo e ao mato, que teve que ser cortado, poucos dias atrás, de roçadeira.

Assim como a grande maioria das cidades do interior do nordeste, Alto Parnaíba, antiga Victória, nasceu na margem de seu mais importante rio, onde hoje é a despovoada Pontinha, estendedo-se, posteriormente, em volta do primeiro templo da Igreja Católica, a Praça Coronel Antonio Luiz, que homenageia o mais importante líder politico de nossa província, até a foz do Brejo do Rapadura com o Parnaíba.

Participei da criação da associação cultural Luiz Amaral, nome dado ao nosso poeta maior, sob a liderança da professora Carmélia Pacheco, que, de Brasília, trouxe a possibilidade da associação - futura fundação -, conseguir recursos para a aquisição, a princípio, de uma casa das mais velhas na beira rio e sua transformação na sede da entidade, com a instalação de museu, teatro, cinema, enfim, a busca pela revitalização cultural e histórica de nossa terra.

Os projetos foram entregues ao prefeito Ernani do Amaral Soares, que, mesmo descendente dos fundadores do município, até agora não fez o encaminhamento, pois a burocracia exige que o município, por seu gestor, endosse as iniciativas - a prefeirura não entrará com nenhuma centavo e nem terá que prestar contas.

Em meu escritório de advocacia na última semana, Ernani falou de seu interesse em revitalizar a margem do Parnaíba. Voltei a falar do projeto cultural, prometendo-me que iria atender os apelos da sociedade representada na associação. O estimulei a adquirir a casa onde morou o nosso primeiro prefeito, coronel e vice-governador do Maranhão, Antonio Luiz do Amaral Britto, e onde também funcionou a intendência, e hoje é depósito de arroz, para sediar uma fundação cultural, ou mesmo outras casas históricas da praça, como as que moraram Aderson Lustosa do Amaral Britto e o major Hamilton Lustosa de Britto (Mitim). Disse-me que gostava da ideia e que a implantará ainda no decorrer deste ano.

É o início. Espero que o prefeito entenda o verdadeiro sentido do resgate da história e da preservação de seus monumentos, dos benefícios que a cidade terá, pois com a continuação do cais até o Rapadura, o calçamento e iluminação, nada mais belo ou gostoso do que o lazer desfrutando de um dos rios mais belos do Brasil. O calçamento do largo Poeta Luiz Amaral e melhorias na Praça Coronel Antonio Luiz; a reforma nas casas históricas, como no bar Victória; a instalação da Fundação Cultural Luiz Amaral no velho casarão, com atividades que possam pelo menos dimunuir, entre os jovens, o uso indiscriminado de drogas ilegais, tudo isso aliado a um bom comércio e diversões sadias, trará o turista, a prefeitura arrecada, a economia melhora, todos ganham.

Espero que os alto-parnaibanos de nascença e de coração, espalhados pelo Brasil, se engajem nessa luta liderada pela corajosa e ativista professora Carmélia Pacheco, escrevendo, falando, divulgando, enfim, cobrando das autoridades locais, comprovando o seu amor pela terrinha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias