sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CASOS E CAUSOS

Recebi há poucos dias um livro escrito com simplicidade, narrativa fácil e típica do sertão, ao lado de uma inegável capacidade literária e de comunicação por parte de seu autor, o advogado Paulo Cruz Pereira, radicado em São Luís.

O remetente é o magistrado João Pereira Neto, atualmente titular da 2ª vara da comarca de Grajaú, no médio Maranhão, que vem a ser irmão do autor da obra Casos e Causos e a quem não conheço pessoalmente, mas nutro admiração pelo elevado conhecimento do direito alinhado a um gosto comum literário.

Com banca de advocacia em nossa capital, advogado concursado do Tribunal de Contas do Maranhão e atuante principalmente no Tribunal do Júri, o Dr. Paulo Cruz envereda pela literatura contando com extrema singela principalmente os dramas vividos, até tragicamente, no passado, por sua família até a construção, a partir da sorte em garimpo e do dom natural de financista, de uma família que, à custa do suor, da dedicação e do estudo, saíu de Matões, a velha São José de Matões, no interior maranhense, para as academias e até a política.

Quando eu gosto do que leio, me envolvo na narrativa do autor. Em Casos e Causos, reencontrei esse amigo livro, que provoca emoções. O li em minha fazendinha, a Chácara Ifigênia Rocha, da barra do São José, a poucos metros do rio Parnaíba. Senti a Matões ali descrita, inclusive com seus personagens reais, com a minha Alto Parnaíba, também sertaneja e com gente da mesma têmpera, costumes e tradições similares. O Dr. Paulo Cruz, com certeza, é uma das boas promessas do Maranhão dos escritores - de João Lisboa, Gonçalves Dias (nosso poeta maior), Graça Aranha, Coelho Neto, Humberto de Campos, Josué Montello, Nauro Machado (o poetinha), e o comparo ao historiador do sul do Maranhão, o professor Eloy Coelho Netto, também advogado, de saudosa memória. O bom advogado é um escritor nato. Os fóruns dizem ser o Dr. Paulo Cruz Pereira um bom advogado.

2 comentários:

  1. Caro Dr. Décio, pelos elogios feitos, acredito que tenha gostado da leitura do livro de meu estimado irmão, Paulo Cruz.
    Um tríplice e fraternal abraço!
    JOÃO PEREIRA NETO

    ResponderExcluir
  2. Li por Curiosidade. Reli com o Desejo de não chegar ao Fim.
    Peço ao Dr Paulo Que logo, logo Lance outro.
    Tem um pouco de Zé lins no Magistral "Menino de Engenho".
    Um Jovem Escritor Que está Resgatando "o Tempo Perdido" (Proust!). Com Admiração,
    José Benedito Amaral Rocha.

    ResponderExcluir

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias