quinta-feira, 4 de agosto de 2011

CAMPANHA AGITADA

Alto Parnaíba, no sul do Maranhão, possui pouco mais de sete mil eleitores em um território com mais de onze mil quilômetros quadrados. Aqui a ausência dos governos é quase total. O caos administrativo é permanente. A certeza de que nada será feito em prol da comunidade é a única realidade concreta. As estradas que não passam de trilhas de rally, carreiros construídos há décadas, contrastam com um dos maiores produtores de grãos do país. O governo maranhhense é omisso, arrecada nossos impostos e faz de conta que não existimos.

Mas mesmo assim, a campanha eleitoral que deveria por lei ser iniciada apenas em meados de 2012, desde a posse do atual prefeito se encontra em sua plenitude, com festas, rodeios, festejos, rallys, eventos de toda sorte patrocinados por candidatos à prefeitura já declarados, que disputam quem pode e tem maior bagagem financeira para ganhar o pleito, n'um total desrespeito à legislação eleitoral do país. Enquanto isso, nenhuma obra é construída, falta serviço, o descaso é o mais completo, a sensação de impunidade dói no peito de quem tem vergonha.

Na semana passada, em um rodeio no povoado Taboca, o pré-candidato Itamar Nunes Vieira, do PSB, longe do poder e de suas benesses, foi agredido verbalmente e por pouco, se não saísse, agredido fisicamente por um jovem que seria empregado do atual prefeito, de um de seus filhos ou pago pela Prefeitura, já que a confusão entre o público e privado chega a ser grotesca. Ameçado e acusado de que teria mandado cortar os pneus de um carro do prefeito Ernani Soares em rodeio anterior no Povoado Angical, Itamar, que não é muito acostumado a desistir de uma briga, agiu com prudência e se afastou do local.

A disputa promete violência e cabe à Justiça Eleitoral começar a agir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias