quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

O RETRATO DO ABANDONO

O abandono imposto ao município sul maranhense de Alto Parnaíba chega a ser desumano. Fim de governo não pode nem deve significar ainda mais a ausência de essenciais serviços públicos à coletividade, como a limpeza da cidade e a coleta do lixo. Não digo por prazer, ao contrário, lamento profundamente ter que registrar esse fato, que é do conhecimento público de todos que vivem no primeiro município maranhense banhado pelo rio Parnaíba.
E por falar no grande rio brasileiro, é exatamente na sua margem, onde a cidade nasceu, o retrato fidedigno do descaso do poder público municipal. O Largo Poeta Luiz Amaral e a Praça Coronel Antonio Luiz viraram depósito de lixo, mato e todo tipo de sujeira, que atinge o cais e o paredão, obras construídas ainda no final dos anos 1960 pelo ex-prefeito Antonio Rocha Filho, e extremamente maltratadas no decorrer dos tempos.

Não há povo sem história. Tentar apagar a própria história é renegar o presente e desprezar o futuro. Alto Parnaíba, como  a maioria das antigas cidades do interior brasileiro, iniciou a sua povoação, ainda como Vila de Nossa Senhora das Victórias, à margem do Velho Monge. Hoje, o que deveria ser um preservado patrimônio histórico, virou morada de insetos, bueiros entupidos, ruas sujas e esburacadas, o desamor do poder público municipal para com a pagadora dos salários de seus agentes. Não há como apagar o sol com a peneira, é a máxima. É lamentável. 
Fotos: Cândido Brito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias