terça-feira, 26 de julho de 2011

VIDIGAL NO PDT

Em entrevista concedida ao jornalista Manoel dos Santos Neto, do Jornal Pequeno, de São Luís, edição de domingo último, o ex-deputado federal Edson Vidigal anunciou o seu ingresso no PDT, relembrando a sua trajetória política desde as lides estudantis, a eleição para vereador em Caxias aos 18 anos de idade, a cassação e prisão sob a acusação de subversivo pelo regime militar, o seu engajamento nas oposições coligadas, movimento que pôs fim ao vitorismo - o ex-senador Vitorino Freire dominou a política do Maranhão por mais de trinta anos -, ao lado de expressivas lideranças de nosso estado, como os ex-senadores Alexandre Costa, Clodomir Millet e Henrique de La Rocque, e o jornalista e ex-deputado Neiva Moreira, atualmente com 94 anos de idade e vivendo na velha capital que o idolatrou nos idos 1950 e 1960, um dos cinco primeiros políticos presos, torturados e levados para a Ilha Grande, depois exilado, pelo golpe que depôs o presidente João Goulart.

Vidigal também falou do estreitamento de suas relações políticas e pessoais com o falecido ex-governador Jackson Lago a partir da última eleição estadual e quando da defesa que fez contra a deposição, pela toga, de um dos fundadores do PDT e do homem que derrotou o grupo político dominante do Maranhão há 45 anos em 2006. Vidigal e Jackson estiveram conosco em Alto Parnaíba há um ano.

Com a morte de Jackson, o Maranhão perdeu sua principal liderança de oposição que não se dobrou ao mando reinante, ainda mais com a idade avançada de Neiva Moreira, também fundador nacional do PDT ao lado de Leonel Brizola e de Jackson, dentre outros, ainda no exílio. Com a chegada de Vidigal, o nosso PDT ganha um nome respeitado e de expressão nacional, ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça e do Tribunal Superior Eleitoral, ex-presidente do STJ, ex-deputado federal, escritor, jornalista e advogado militante, jurista lido e seguido por operadores do direito em todo o país, que, além do mais, possui a coragem e a fibra para assumir o comando das oposições. Na eleição para o Senado em 2010, enfrentando uma máquina poderosa, Vidigal e seu companheiro Roberto Rocha obtiveram mais de 1 milhão de votos.

Bem vindo, Vidigal, meu caro amigo, para o bem do Maranhão de tantas pelejas e de tanto atraso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias