segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

2012

O ano que se inicia é político-eleitoral. Todos os municípios brasileiros irão às urnas em 07 de outubro em uma eleição específica municipal. Em jogo, os interesses de cada lugar do Brasil.

Em Alto Parnaíba, no extremo sul maranhense, não será diferente quanto à data do pleito. Entretanto, o calendário eleitoral, que somente é oficial em 2012, teve início bem antes. Se realmente o chamado Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral aqui foi criado, seria salutar que voltasse, pois nos últimos dez anos se agravou o desrespeito à legislação eleitoral e a princípios básicos de uma eleição democrática, como a isonomia ou igualdade de condições entre todos os aspirantes e candidatos a prefeito.

Se o Supremo Tribunal Federal julgar constitucional a Lei da Ficha Limpa, Alto Parnaíba e seu povo ganharão com a decisão, pois bargados da politigaem e da compra de votos, useiros e vezeiros no uso indiscriminado e impune do dinheiro público ao seu bel prazer, ficariam fora da disputa. Não é preciso nominá-los; o próprio povo sabe quem é sujo no jogo político.

Alto Parnaíba, por incrível que pareça, precisa apenas de um bom prefeito para a consolidação de seu desenvolvimento econômico e social. Milhares de hectares de terras propícias à agropecuária e, consequentemente, ao agronegócio, indústrias, comércio, empresas, emprego. O que falta, então? Estradas. Os carreiros existentes foram abertos há mais de 25 anos e pouco conservados. No atual governo local, sequer a mínima manutenção. A pavimentação da BR-235 entre Gilbués e Santa Filomena e, portanto, Alto Parnaíba, é inevitável pela grandeza da agricultura da região. A sua continuidade para Lizarda, no Tocantins, é consequência natural e intransferível. Urge, todovia, que o município de Alto Parnaíba cuide das estradas vicinais, de sua responsabilidade, inclusive daquelas que possibilitará a implantação do turismo em grande escala, como a que liga a cidade ao distrito de Curupá e deste às nascentes do rio Parnaíba.

As obras são necessárias, com o respeito máximo ao meio ambiente. Não podemos nem devemos aceitar a condição de povo obrigado ao mínimo em tudo - saúde, educação, lazer, estradas, transportes, assistência social, dignidade humana. Para tanto, apenas uma arma, o voto, que, sem sangue, destrói os corruptos, aposentada os incapazes e ineficientes, liquida a mentira política, aborta os aproveitadores da miséria e do mínimo oferecido pelo poder público municipal aos outros mortais, desarticula as famílias organizadas sob o manto e a ideia de que o dinheiro da Prefeitura é e sempre será delas.

Sem demagogia e sem a condenável máxima de que agora é a vez de fulano ou beltrano, agora é a vez do retorno do trabalho, da honradez, da eficiência, do fim da impunidade e da corrupção, sem medo, sem amarras a agiotas, sem nepotismo, sem desvio de um único centavo do dinheiro do povo de Alto Parnaíba em um futuro governo transparente, sério, sem dentes à mostra mas com respeito à população. Que 2012 seja o restabelecimento da vergonha dos homens públicos e o recomeço para um município naturalmente próspero e com potencial invejável. Que assim seja. Feliz 2012!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias