terça-feira, 8 de novembro de 2011

O MINISTRO LUPI DEVE RENUNCIAR

O presidente nacional do PDT (licenciado) e ministro do Trabalho Carlos Lupi deve renunciar aos dois cargos sem demora. Não é uma questão facultativa; é dever. Político que tenha por si próprio o mínimo de respeito não pode nem deve esperar, em cargo político ou de confiança, que investigações se concretizem. Neste caso, inexiste presunção de inocência.

Correto o posicionamento da maioria do meu partido, o PDT, em pedir o afastamento de Lupi e a abertura de investigações pela Polícia Federal e Procuradoria-Geral da República sobre atos de corrupção na pasta ministerial comandada desde o governo Lula pelo carioca Carlos Lupi, que se impôs como pretenso sucessor de Brizola sem possuir do inesquecível líder gaúcho qualquer requisito básico de liderança, como o carisma.
Foto: reprodução - AE

O PDT possui um valoroso quadro como Cristovam Buarque, Antonio Ruguffe, Miro Teixeira, Edson Vidigal, Brizola Neto, dentre tantos outros e não deve ficar refém de um líder que macula a sua história de resistência democrática, de moralidade com o dinheiro público e sua luta sem tréguas contra os mal feitos nos governos, a partir de lideranças históricas como Leonel Brizola, Darcy Ribeiro, Jackson Lago, Abdias Nacimento e Neiva Moreira, atualmente com 94 anos e felizmente ainda entre nós.

Entre os envolvidos no escândalo de corrupção no ministério do Trabalho denunciado pela revista Veja em sua última edição, estaria um ex-assesor de Lupi e deputado federal pelo PDT do Maranhão, de nome Weverton Rocha, a quem não conheço e nem sabia que havia se tornado parlamentar. Urge ao presidente estadual pedetista Ygor Lago, honrando as nossas tradições e a própria história ímpar e de destemor contra a corrupção e as oligarquias de seu saudoso pai, Jackson Lago, tomar medidas, a nível do partido, que insente a agremiação no estado de qualquer responsabilidade sobre eventuais atos ilícitos de seu filiado e deputado, bem como, de afastar preventivamente o aludido parlamentar das fileiras do PDT.

Sou filiado ao PDT desde 1999 e por duas oportunidades presidi seu diretório municipal em Alto Parnaíba, no sul maranhense, tendo participado de algumas campanhas eleitorais, todas duras, e no enfrentamento de perseguições insanas que se tornaram públicas na região, especialmente na vitória espetacular de Jackson Lago em 2006 quando eleito o primeiro governador da oposição ao grupo oligárquico que domina o Maranhão, após 40 anos. A nossa luta sempre foi contra a corrupção, que é a maior mazela de nosso estado e infortúnio de todo o seu povo.

Portanto, jamais poderemos - os pedetistas verdadeiros - compactuarmos ou nos omitirmos ante denúncias tão graves que envolvem o ministro indicado pelo partido e seu presidente nacional. Carlos Lupi, com aquele tipo de coronel chôco que faz lembrar personagens de Mazaropi e de Chico Anysio, já deu o que tinha que dá e culpado ou não, já machucou, para dizer o mínimo, o nosso partido. Ninguém quer os ossos de Lupi nem para roer, apenas que Lupi pegue o seu jaquetão ao estilo Pantaleão e vá descansar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias