sexta-feira, 28 de agosto de 2009

ALTO PARNAÍBA PREPARA O SEU FESTEJO




Quase todos os botequins estão prontos, faltando apenas dois dias para o início oficial e religioso do festejo de Nossa Senhoria das Vitórias, a padroeira do município de Alto Parnaíba, o mais meridional do Maranhão.



A origem dessa festividade, a mais antiga do lugar, remonta à própria fundação da vila que levou o nome da santa, em 19 de maio de 1866.








Por várias décadas, até os anos 1960, o tradicional festejo teve por cenário a bela paisagem do rio Parnaíba, em frente de nossa primeira igreja, na praça que homenageia o mais importante líder político de Alto Parnaíba em todos os tempos, nosso primeiro prefeito, coronel Antônio Luiz do Amaral Britto.






Por concepção da Igreja Católica, a matriz e a santa foram transferidas para um novo e imponente templo construído na praça central, a coronel Adolpho Lustosa, com maior espaço, onde as festas se repetem a cada ano, de 30 de agosto a 08 de setembro.


Além da religiosidade, os aspectos culturais, históricos, esportivos e de lazer, marcam os festejos, ponto de encontros e reencontros, quando a cidade recebe o maior número de visitantes, principalmente de filhos e de descendentes da terra que aproveitam o culto à Vitória para visitar e rever o torrão natal, parentes e conhecidos. Também turistas de cidades próximas e de regiões distantes do país, atraídos principalmente pela presença na comunidade de inúmeras famílias sulistas aqui radicadas e trabalhando principalmente na agricultura e no comércio.



Parte das tradições é mantida. A culinária típica, com a galinha caipira, a carne seca - a maria isabel, a paçoca -, o chambari, a buchada, o mocotó, o feijão de arranca casado com arroz, ao lado da cajuína e de doces caseiros e outras guloseimas, apreciados por nativos e visitantes. O caráter oficial do festejo leva em conta a participação da Prefeitura Municipal, que coordena e organiza os botequins, os shows, bailes e demais eventos. O clima de paz no tempo e entre os homens, a hospilidade dos alto-parnaibanos, marcam um dos mais visitados festejos tradicionais de nossa região.









Sou daqueles que acreditam que é preciso manter eventos essencialmente frutos da cultura sertaneja brasileira, como os cultos, independentemente de religiões e de credo, a todos os tipos de santos e santas. Vitória, mãe de Cristo, representa muito para Alto Parnaíba. Minha mãe, Maria Dacy do Amaral Rocha, tendo seu Ceir Pachêco como padrinho, é a madrinha do atual templo de nossa padroeira, consagrado em 28 de abril de 1968 sob a presidência de Dom Rino Carlesi, primeiro bispo da prelazia e depois diocese de Balsas, já morto. Era paróco quando da construção da matriz o padre italiano André Filippi, um extraordinário administrador. Esse templo está precisando de ser reformado com urgência. Um movimento comunitário do qual participam, dentre outros, Ana Célia Coelho (Milica), Maria Gardênia Brito Bastos, Itamar Vieira, Ernani Soares (atual prefeito), o pároco, padre Egon Schuerter, e meu irmão, Elias Elton Rocha (vereador), coordena a realização de um leilão de bovinos doados por fazendeiros, além de um mutirão para arrecadação junto a pessoas de bom coração, cuja renda será revertida em prol das obras da Igreja. Os filhos e com origem em Alto Parnaíba e todos aqueles que queiram participar poderão procurar a Igreja Católica em Alto Parnaíba - fone: (89) 3569-7365 (paróquia) ou (89) 3569-7579, com Milica, da comissão organizadora.

Como eu dizia, a importância de Nossa Senhoria das Vitórias para a formação política, geográfica, cultural, história e religiosa de nossa terra é incontestável, por católicos ou não. A fundação do município se deu após um ato vitorioso, que anexou o hoje extremo sul maranhense ao Maranhão. Tirar Alto Parnaíba do mais completo isolamento, desde a conquista da navegabilidade pelo Parnaíba até a pavimentação de nossa primeira rodovia, ligando-nos a Tasso Fragoso e a Balsas e daí ao restante do Brasil, deve-se a uma conquista unida da comunidade. A não transformação da cidade em fantasta na década de 1960, quando centenas de famílias se mudaram em busca de um futuro melhor, foi outra grande vitória. Portanto, obrigado Victória, escrita assim mesmo com essa grafia como no princípio - no princípio é verbo.

4 comentários:

  1. Mais um ano e mais uma expectativa, para os tradicionais festejos de Noss Senhora das Vitória.
    Esperamos que a Santa Interceda junto ao Pai, para que os nove dias de festas aconteçam na maior tranquilidade possível. Que os corações dos festantes estejam cheios, apenas de cordialidade e desejo de diversão sadia.
    Boas festas a todos. E, "Brinquem em paz"...

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez não vou poder compartilhar dos festejos,espero que seja nossos olhos e nos mantenha informado sobre todos os acontecimentos desta tão esperada festa

    ResponderExcluir
  3. Caríssimo Décio,
    Quero apenas retificar uma palavra escrita incorretamente, em meu comentário.
    Onde encontra-se "Nossa Senhora das Vitória", leia-se, "Nossa Senhora das Vitórias".
    Abraço cordial.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o novo visual do blog com fotos. Vontade imensa de ir para os festejos!!!

    ResponderExcluir

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias