domingo, 9 de agosto de 2009

PAI


A minha ligação com meu pai era estreita e permanente, talvez pelo fato de ser seu filho mais novo e de andar sempre próximo a ele.

Hoje, no dia comemorativo aos pais, acordei recordando ainda mais dele, que nos deixou subitamente no final de uma madrugada de 27 de abril de 1990, e nada melhor, em homenagem a Rochinha e a todos os pais de Alto Parnaíba, do Brasil e do mundo, do que reler e fazer chegar até você o soneto PAI, do poeta Luiz Amaral, que o escreveu em reconhecimento ao pai e sogro, Adolpho Lustosa do Amaral Britto, em 10 de outubro de 1955.

PAI
SÃO TRÊS LETRAS APENAS. ENTRETANTO, O SEU SENTIDO É DE TAL NATUREZA, QUE NÃO SE PODE TRADUZIR-LHE O ENCANTO, NEM MEDIR-LHE SE PODE A PROFUNDEZA!

SÃO TRÊS LETRAS QUE JUNTAS DIZEM TANTO E SE REVESTEM DE TANTA BELEZA,
QUE SE NOMES MORRESSEM DE QUEBRANTO, ESTE PERECERIA COM CERTEZA!

É O PRIMEIRO NOME QUE DIZEMOS...
E DEPOIS, NUNCA MAIS O ESQUECEMOS
NOS "BONS" OU "MAUS" QUE A VIDA ENCERRA.

POIS QUE, PEQUENO ASSIM COMO É ESCRITO,
ELE TRADUZ UM TESOURO INFINITO,
- O MAIOR BEM QUE DEUS DEIXOU NA TERRA!.

(publicado à página 55 do livro MEU LIVRO do poeta Luiz Amaral)

3 comentários:

  1. Como filho comungo do mesmo sentimento: Saudade, que não perece
    O tempo só énaltece
    nunca envelhece
    nem Desaparece...
    Dolorosamente. Confortado Pelo Senhor Jesus.
    Foi um bom.

    ResponderExcluir
  2. Tio, parabéns pelo PAI maravilhoso que o senhor é. Ana Dacy é abençoada por ter um pai tão especial, dedicado e amoroso. Deixo aqui registrado também meus parabéns emocionado a vovô e a papai por terem sido excepcionais a seus rebentos.Amo vocês três!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada por existir em nossas vidas e por ser tão dedicado pai, para mim, Maria Dacy e Ana Dacy. Tenho certeza que papai e vovô são gratos por essa nobre ação. Concordo com Maria Dacy: "Amo vocês três, eternamente."

    ResponderExcluir

Coloque seu e-mail abaixo para receber um resumo das novas notícias